Brasil: Comunicado MPA ante partida física da Marisa Leticia Rocco

Nós camponeses e camponesas do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) vindos de todos os grotões e rincões do Brasil reunidos em Guararema – São Paulo, recebemos com imenso pesar a notícia da partida física da companheira Marisa Letícia, que por mais de 40 anos esteve junto, lado a lado com cada trabalhadora e cada trabalhador nas lutas pelas liberdades democráticas no Brasil.

A companheira Marisa filha de imigrantes camponeses da Itália, como todas as filhas e filhos da Classe Trabalhadora, começou a trabalhar ainda na adolescência, forjando sua consciência nas lutas operárias de resistência à ditadura, quando contribui na mobilização e organização da Marcha das Mulheres pela Libertação dos sindicalistas presos pelos algozes da Ditadura Militar. Como operária esteve junto a sua classe, forjando, tecendo e costurando as bandeiras da Classe Trabalhadora. A Companheira Marisa NÃO foi uma MULHER RECATADA e do LAR, sua história é um exemplo de mulher guerreira, de mulher brasileira, de mulher operária que ousou enfrentar a casa grande e tornou a “Dona Marisa”, da mulher que fez do sonho de uma sociedade justa seu projeto de vida, de família, de mulher.

Nós do Movimento dos Pequenos Agricultores, não podemos deixar de relacionar a partida física da companheira Marisa aos últimos acontecimentos políticos no Brasil e responsabilizar todos os operadores do GOLPE que por meio da operação de Guerra Psicológica, que atinge o corpo e a mente, operada pela mídia, por setores da Polícia Federal, de setores da sociedade de orientação fascista, misóginos, que vem pregando o ódio e a intolerância como cultura contra a Classe Trabalhadora e todas as suas conquistas, e que nos últimos anos tem dirigido de forma cotidiana esse ódio e essa intolerância a família da companheira Marisa e do Ex-Presidente Lula. Aos responsáveis dessas operações, as camponesas e camponeses do MPA dizem NÃO ESQUECEREMOS!!!

Para os camponeses do MPA, sobretudo para as camponesas, Marisa Letícia será sempre um símbolo de luta e resistência, lembrada por legado e dedicação à Classe Trabalhadora. Para jovem camponesa e dirigente do MPA em SP, Josineide Costa, “a morte de Dona Marisa representa mais um golpe no nosso país e para a Classe Trabalhadora. Foi uma grande lutadora, mulher de fibra, forte, resistente, companheira, sempre lado a lado com ex-presidente Lula com todo seu histórico de luta.

O Lula tornou se um grande líder internacional com a força da Marisa também, que sempre assegurou toda a família, assim como nós mulheres camponesas e todas as mulheres que são mães, que são trabalhadoras, que cuidam da família, que protegem a família, assim foi Marisa. A mídia, mais uma vez usa o seu linguajar contra nós, a Classe Trabalhadora, até nos momentos difíceis, no momento em que nós perdemos nossa vida. A morte de Marisa é considerada, com tudo isso que vinha atingindo um assassinato. A mídia fala em morte, mas para nós ela não morreu, ela partiu desse vida, deixando seu legado, sua caminhada como exemplo para nós mulheres lutadoras seguir na mudança do nosso país construindo um projeto que a gente sonha. Casou com o presidente Lula e construiu toda essa história, ajudou fundar a CUT, a fundar o PT um dos principais partidos hoje para a esquerda brasileira, construindo com suas mão a primeira bandeira do PT. De um pedaço de pano vermelho ela colocou uma estrela, uma estrela que um dia iria brilhar, uma estrela que brilha no horizonte de cada um de nós, uma estrela que representa a esperança, esperança de uma mundo melhor de um futuro melhor”.

Aos familiares, aos filhos e ao ex-presidente Lula vai nosso abraço, nossa solidariedade e nosso pesar. Contém com nosso compromisso em manter vivos os ideais de liberdade e democracia da companheira Marisa.

 

Marisa Letícia! Presente!!! Presente !!! Presente!!!

Guararema-SP, 2 de Fevereiro DE 2017