Brasil: Grevistas de fome vão ao STF solicitar audiências com ministros

No oitavo dia de protesto sem se alimentar, manifestantes apelam por justiça na corte suprema

Chega ao oitavo dia a greve de fome empreendida por sete militantes de movimentos populares do campo e da cidade. O risco para a saúde dos manifestantes deixa em alerta as equipes de saúde e apoio que acompanham o protesto e aumenta a pressão sobre as autoridades que podem resolver a pauta da greve. 

Na tarde desta terça-feira (07), Vilmar Pacífico, Zonália Santos, Jaime Amorim (do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST), Rafaela Alves e Frei Sérgio Görgen (do Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA), Luiz Gonzaga, o Gegê (da Central dos Movimentos Populares – CMP) e Leonardo Armando (do Levante Popular da Juventude) irão até o Supremo Tribunal Federal.

A intenção é protocolar onze pedidos de audiências, destinados a todos os ministros da corte. O STF é o lugar onde a liberdade do ex-presidente Lula pode ser debatida e deliberada imediatamente, ao colocarem na pauta o julgamento das ações declaratórias de constituciobalidade (ADC) 43 e 44, que questionam a prisão em segunda instância.

“A perda de direitos em saúde e educação públicas, o aumento dos preços da comida, do gás e dos combustíveis, o aumento da violência sobre as populações negra, LGBT e de mulheres, bem como a volta da miséria e da fome nos move a fazer este ato extremo”, anuncia Frei Sérgio. .

Neste momento de mais debilidade dos grevistas de fome, se intensificam as visitas de parlamentares. Uma comissão de senadores é esperada para esta terça-feira no Centro Cultural de Brasília, onde os manifestantes repousam. Também nesta terça, uma comitiva de indígenas do povo Guarani leva o apoio e solidariedade aos grevistas de fome.

Fome contra a fome

Na segunda-feira (06) um ato político celebrou o encontro dos grevistas de fome com a Caravana Semiárido contra a Fome, que percorreu mais de 4 mil quilômetros cruzando o país e dialogando sobre a urgência de uma política de combate à pobreza e à fome. A Caravana culmina em Brasília e passou pela greve de fome para homenagear os lutadores em seu ato extremo.

Este momento marcou também a chegada do sétimo grevista de fome, Leonardo Armando, militante do Levante Popular da Juventude. Com Leonardo, agora são sete manifestantes que resistem sem igerir nenhum alimento, apenas tomando água e soro.

Outras informações:
61 99996 4391
49 99160-5897
Adilvane Spézia
MPA

11 94196 7747
Rafael Soriano
MST